terça-feira, 29 de setembro de 2009

Estrada



É certo que as estradas são perigosas e a gente nunca sabe o que vem de lá. Mas cansei de ser sempre tão cautelosa e racional. Então tiro cinto de segurança que prendia o meu coração e fui... Numa velocidade boa, nem tão devagar como antes, nem tão depressa, porque queria apreciar os segredos do caminho. Sai ultrapassando todos os medos e saltando lombadas de incertezas. Sem saber pra onde nem quando chegar, só queria sentir o abraço do vento, sentir o gostinho doce de viver sem hora marcada pra chegar.

2 comentários:

Maari. disse...

Viver sempre, mas sonhar também;
A vida não é só de medos, mas de coragem.

beeijo ;*

Karla Thayse disse...

Olá Verônica,
Fiquei lisonjeada ao ler meu texto no seu blog, mas ficaria mais feliz se você colocasse os créditos.
Seu blog é lindo.
Beijo